Passar para o conteúdo principal
Todas as coleçõesOneFlowContábil
Como criar e configurar o modelo de estrutura da DFC Direta
Como criar e configurar o modelo de estrutura da DFC Direta
Telma Veloza avatar
Escrito por Telma Veloza
Atualizado essa semana

Criando um Modelo de Estrutura

Para criar e/ou configurar o modelo de estrutura da DFC Direta, dentro do módulo Contábil, acesse a opção 'Configurar estruturas':

Na tela que será aberta, você poderá fazer a configuração de um modelo de estrutura já existente para a empresa ou clicar em 'Incluir' para criar um novo modelo:

Ao incluir um novo modelo para a empresa, você poderá optar por utilizar uma estrutura que já exista no OneFlow ou então criar uma estrutura do zero.

Ao optar por criar uma estrutura do zero, defina as seguintes informações:

  • Tipo de Demonstrativo: DFC Direta

  • Descrição: informe uma descrição para identificar a DFC Direta

  • Plano de Contas: selecione o plano utilizado pela empresa

Após isso, responda 'Sim' na mensagem que será apresentada, para carregar a estrutura padrão disponível no OneFlow:

Entendendo os Itens da estrutura

Os itens da estrutura possuem duas composições básicas:

1 - Contas contábeis

Nesses itens deverão ser vinculadas as contas contábeis que irão compor os saldos da DFC, conforme explicaremos adiante.

2 - Totalizadores

Esses itens irão totalizar os valores calculados nos sub-itens não totalizadores, ou seja, aqueles que recebem os saldos das contas contábeis.

Note que a forma de totalização dos itens já estão configuradas no modelo de estrutura padrão gerado pelo sistema, sendo recomendável manter a operação como 'Soma':

Isso garantirá o resultado correto da demonstração, uma vez que ao gerá-la, os valores positivos calculados nos itens serão somados, enquanto que os valores negativos serão subtraídos da totalização geral.

Vinculando as Contas Contábeis aos Itens da Estrutura

Após a criação do modelo de estrutura padrão, é necessário fazer o vínculo das contas contábeis do Plano de Contas. Para isso, selecione (com duplo clique ou pela opção 'Editar item') os itens cuja 'Composição' seja 'Contas contábeis':

Será aberta uma tela cuja primeira aba identifica o item de estrutura selecionado:

Em seguida, selecione a aba 'Contas Contábeis' e clique em 'Vincular Conta':

Então marque as contas que deseja vincular ao item da estrutura e clique em 'Vincular':

DICA: caso você precise vincular todas as contas analíticas de um ou mais grupos de uma única vez, basta selecionar a(s) conta(s) totalizadora(s) correspondente(s) e responder 'Sim' na mensagem que será apresentada:

Identificando as contas contábeis que deverão ser vinculadas aos itens da estrutura

Itens referentes aos Saldos Inicial e Final

Para esses itens devem ser relacionadas as contas contábeis que representam o Caixa e Equivalentes de Caixa (Bancos, Aplicações de Liquidez Imediata, etc), que normalmente ficam dentro do grupo de 'Disponibilidades' do Plano de Contas.

Ao acessar um dos itens que representam os saldos, note que na aba 'Item da Estrutura do Demonstrativo' está marcada a opção que identifica se o mesmo se trata do saldo inicial ou final:

É importante manter esse parâmetro devidamente configurado para que, na geração da DFC, o sistema possa obter corretamente os saldos (inicial ou final) das contas de Caixa e Equivalentes.

Após ter associado as contas contábeis de Caixa e Equivalentes no item que representa o Saldo Inicial da DFC, deverá fazer o mesmo para o item referente ao Saldo Final. Nesse momento, você pode se deparar com a seguinte mensagem:

Nesse caso, você poderá responder afirmativamente porque, de fato, os itens da DFC referentes aos Saldos Inicial e Final terão as mesmas contas contábeis associadas.

No entanto, tenha cuidado quando essa mensagem for apresentada quando você estiver configurando os demais itens da estrutura da DFC pois, ao confirmar, o saldo da conta contábil alertada na mensagem será gerado em duplicidade na DFC, impactando em divergências no resultado.

Demais itens com composição de Contas Contábeis

Os demais itens da DFC Direta que são compostos por contas contábeis, estão agrupados entre as Atividades Operacionais, de Investimentos ou de Financiamentos do Fluxo do Caixa. Com isso, antes de vincular as contas contábeis, é necessário identificar a qual atividade elas pertencem, lembrando que de acordo com o CPC no. 3:

  1. Atividades operacionais: abrangem todo o fluxo relativo à produção e entrega de produtos e serviços. Dessa forma, devem ser consideradas as despesas, os custos de produção, as contas a receber e os pagamentos à vista. Para isso, podem ser utilizados dados obtidos a partir da DRE.

  2. Atividades de investimento: referem-se ao uso de dinheiro feito pela empresa na aquisição de ativos que podem gerar frutos no futuro. Exemplos: compra de bens para o ativo imobilizado, investimento em ações, etc.

  3. Atividades de financiamento: estão ligadas à captação de recursos, sejam eles oriundos de sócios ou de terceiros, para compor o caixa. Exemplos: empréstimos, financiamentos, aumento de capital, etc.

Em resumo, as contas contábeis que devem ser vinculadas aos demais itens da estrutura da DFC Direta, são aquelas que de alguma forma irão refletir na movimentação do Caixa, ou seja, que estão relacionadas aos pagamentos e recebimentos.

Vamos fazer um exemplo com os itens '(+) Recebimento de Clientes' e '(-) Pagamento de Fornecedores' que ficam no grupo de Atividade Operacional, com o item '(-) Aquisição de Imobilizado' que fica no grupo de Atividade de Investimentos e com o item '(-) Pagamento de Dividendos' que fica no grupo de Atividades de Financiamentos.

No item de '(+) Recebimento de Clientes': devem ser vinculadas tanto as contas contábeis referentes às Receitas de Vendas, Serviços (resultado), como também as contas de recebimentos de clientes (ativo).

No item '(-) Pagamento de Fornecedores': devem ser vinculadas as contas referentes às Compras, Despesas com a operação (resultado) e as contas de pagamentos aos fornecedores (passivo).

No item '(-) Aquisição de Imobilizado': deve ser vinculada a conta referente à compra de Bens (ativo).

Observação: demais contas referentes ao Imobilizado, como: 'Depreciação' (resultado) e '(-) Depreciação Acumulada' (ativo), não precisam ser relacionadas porque elas não têm reflexo no Caixa e Equivalentes.

E no item '(-) Pagamento de Dividendos': devem ser vinculadas as contas referentes ao Lucro apurado no Período, Lucros Acumulados e Lucros Distribuídos, cuja diferença entre eles deverá corresponder ao valor real do lucro distribuído no período.

Explicando: suponha que tenhamos o seguinte Balancete de um determinado período:

Conta Contábil

Descrição

Saldo Inicial

Movimento

Saldo Final

1

Ativo

185,00 D

234,00 D

419,00 D

1.1

Ativo Circulante

185,00 D

234,00 D

419,00 D

1.1.1

Disponibilidades

85,00 D

17,00 D

102,00 D

1.1.1.01

Caixa

85,00 D

17,00 D

102,00 D

1.1.2

Direitos C/Prazo

100,00 D

200,00 D

300,00 D

1.1.2.01

Clientes

100,00 D

200,00 D

300,00 D

1.1.3

Imobilizado

0,00

17,00 D

17,00 D

1.1.3.01

Bens

0,00

18,00 D

18,00 D

1.1.3.01.01

Computadores

0,00

18,00 D

18,00 D

1.1.3.02

(-) Deprec. Acumul.

0,00

1,00 C

1,00 C

1.1.3.02.01

(-) Depr. Computad.

0,00

1,00 C

1,00 C

2

Passivo

185,00 C

10,00 C

195,00 C

2.2

Fornecedores

25,00 C

30,00 C

55,00 C

2.2.1

Fornecedores Nacion.

25,00 C

30,00 C

55,00 C

2.3

Lucros Distribuídos

0,00

10,00 C

10,00 C

2.3.1

Lucros Distribuídos

0,00

10,00 C

10,00 C

2.4

Patrimônio Líquido

160,00 C

30,00 D

130,00 C

2.4.1

Capital

100,00 C

0,00

100,00 C

2.4.1

Lucro do Período

60,00 C

60,00 D

0,00

2.4.2

Lucros Acumulados

0,00

30,00 C

30,00 C

3

Receitas

0,00

275,00 C

275,00 C

3.1

Receitas Operacionais

0,00

275,00 C

275,00 C

3.1.1

Venda de Mercadorias

0,00

275,00 C

275,00 C

4

Despesas

0,00

51,00 D

51,00 D

4.1

Desp. Administrat.

0,00

51,00 D

51,00 D

4.1.1

Propaganda e Public.

0,00

50,00 D

50,00 D

4.1.2

Depreciações

0,00

1,00 D

1,00 D

Note que a venda total de mercadorias no período foi de 275,00, porém, na DFC Direta, deve ser evidenciado o movimento que entrou e saiu do Caixa, logo, é necessário identificar o resultado das vendas à vista, por meio da seguinte fórmula:

Vendas à vista = Vendas Totais - Vendas a Prazo -> onde temos:

Vendas à vista = Vendas de Mercadorias - Clientes

Vendas à vista = 275,00 C - 200,00 D

Vendas à vista = 75,00 C ou 75,00 (positivo) -> esse é o valor que realmente entrou no Caixa e que deve ser evidenciado na DFC Direta.

Entendido isso, devemos vincular as seguintes contas contábeis no item '(+) Recebimento de Clientes' da estrutura da DFC:

  • 1.1.2.01 - Clientes

  • 3.1.1 - Vendas de Mercadorias

Agora vamos identificar o valor das compras à vista, por meio da seguinte fórmula:

Compras à vista = Compras Totais - Compras a Prazo -> onde temos:

Compras à vista = Propaganda e Public. - Fornecedores

Compras à vista = 50,00 D - 30,00 C

Compras à vista = 20,00 D ou -20,00 (negativo) -> esse é o valor que realmente saiu do Caixa e que deve ser evidenciado na DFC Direta.

Com isso, devemos vincular as seguintes contas contábeis no item '(-) Pagamento de Fornecedores' da estrutura da DFC:

  • 2.2.1 - Fornecedores Nacionais

  • 4.1.1 - Propaganda e Publicidade

Agora vamos identificar o valor dos lucros distribuídos, por meio da seguinte fórmula:

Lucros distribuídos = Lucros Acumulados - Lucro do Período - Lucros distribuídos -> onde temos:

Lucros distribuídos = Lucros acumulados - Lucro do Período - Lucros Distribuídos

Lucros distribuídos = 30,00 C - 60,00 D - 10,00 C

Lucros distribuídos = 20,00 D ou -20,00 (negativo) -> esse é o valor que realmente saiu do Caixa e que deve ser evidenciado na DFC Direta.

Com isso, devemos vincular as seguintes contas contábeis no item '(-) Pagamento de Dividendos' da estrutura da DFC:

  • 2.3.1 - Lucros Distribuídos

  • 2.4.1 - Lucro do Período

  • 2.4.2 - Lucros Acumulados

E por fim identificamos o valor referente ao investimento (compra de bens do imobilizado), que foi de 18,00 D ou -18,00 (negativo) -> esse é o valor que saiu do Caixa e que deve ser evidenciado na DFC Direta.

Então devemos vincular a conta contábil '1.1.3.01.01 - Computadores' no item de '(-) Aquisição de Imobilizado' da estrutura da DFC.

Logo, a DFC Direta terá o seguinte resultado:

Item da Estrutura da DFC Direta

Valor (baseado no movimento contábil)

Atividade Operacional

-

(+) Recebimento de Clientes

75,00

(-) Pagamento de Fornecedores

-20,00

Total da Atividade Operacional

55,00

Atividade de Investimento

-

(-) Aquisição de Imobilizado

-18,00

Total da Atividade de Investimento

-18,00

Atividade de Financiamento

-

(-) Pagamento de Dividendos

-20,00

Total da Atividade de Financiamento

-20,00

Variação do Fluxo de Caixa

17,00

Saldo Inicial do Período (Caixa)

85,00

Saldo Final do Período (Caixa)

102,00

Conforme demonstrado acima, a 'prova' de que o Fluxo de Caixa está correto é que o valor totalizado (17,00) para o item 'Variação do Fluxo de Caixa' corresponde exatamente à diferença entre os saldos inicial e final do Caixa e Equivalentes.

Por isso é importante vincular corretamente todas as contas contábeis que se referem ao:

  • Caixa e Equivalentes de Caixa: deverão ser associadas aos itens de Saldos Inicial e Final da estrutura da DFC.

  • Demais contas com reflexo no Caixa: deverão ser associadas aos demais itens da estrutura da DFC, respeitando ao tipo de atividade que elas representam.

Observação: caso alguma conta contábil que represente o Caixa (e Equivalentes) ou

que tenha reflexo no Caixa, deixe de ser associada à estrutura ou seja associada

em duplicidade, resultará em divergências no resultado da DFC Direta.

Totalização dos Saldos nos itens da DFC

Observe que o valor de cada item da DFC recebe a totalização do saldo do movimento (débitos menos créditos) apurado no período para a(s) conta(s) contábil(eis) associada(s) ao mesmo. Sendo que:

  • Saldo do movimento CREDOR = é considerado positivo no Fluxo do Caixa

  • Saldo do movimento DEVEDOR = é considerado negativo no Fluxo do Caixa

Vinculando o novo Modelo de Estrutura na geração da DFC Direta

Pronto! Após concluir o relacionamento das contas contábeis do Plano de Contas aos itens da estrutura da DFC Direta, a demonstração já poderá ser gerada, bastando informar o nome do novo modelo criado, no campo 'Estrutura' das configurações da obrigação:

Clique aqui para mais informações sobre a geração da DFC Direta.

Respondeu à sua pergunta?